segunda-feira, 18 de julho de 2011

Capa Edição 115

Clique na imagem para ampliá-la

Aloisio Lago

Comandante da Polícia Militar em Santo Amaro, volta a criar clima de terror, deixa a cidade em pânico e a oposição santamarense perplexa, temerosa, e em dúvida quanto ao real papel do Estado, para garantir os direitos constitucionais do cidadão, ordenando aos seus subalternos  TEN/PM Marcelo Lopes Pereira e o ASP/PM Dorival Ferreira da Silva Neto, prenderem o vereador Val-mir Figuere-do, sem culpa formada, cidadão san-tamarense conhecido por toda a comu-nidade, exercitando o seu legítimo direito constitucional de ir e vir, de manifestação de opinião, etc. Enquanto isso, a cidade continua assustada com a falta de segurança e de garantias individuais, por-que as suas autoridades estão se preocupando em obedecer ordens estúpidas do prefeito que se julga dono da cidade e age como se fosse o quintal de sua casa. Não é não!
Diante do Delegado, Bel. Celso Lima Bezerra, o vereador Valmir, segundo suas declarações à esse Jornal, ouviu do TEN/PM Marcelo, o seguinte: cumprimos ordens do nosso Comandante. 

É para isso que a gloriosa Polícia Militar da Bahia serve?

Gato escaldado de água fria tem medo
Não é a primeira vez que esse ‘oficial’pratica ignominias e atenta contra essa briosa instituição, a PM/BA. Quem não se lembra que num desrespeito total ao Poder Legislativo Santamarense, mandou cercar de maneira camuflada o prédio onde funciona esse poder, com militares armados e viaturas da PM, para intimidar os vereadores que promoveriam sessão ordinária, nas suas dependências? Quem não se lembra que concedendo entrevista à uma emissora de rádio local, esbravejou contra todas as autoridades municipais e foi muito mais longe ao declarar que prenderia até mesmo o governador, se ele agisse de encontro às leis? Muito displante!
É preciso coragem para o enfrentamento 
Quem não se lembra que os vereadores de Santo Amaro numa atitude corajosa procederam sua sessão ordinária, à época, e se manifestaram repudiando as ações grosseiras e violentas desse Comandante, apresentando, justificando, discutindo e votando Moção de Repúdio e considerando-o persona não grata ao município de Santo Amaro?
Reunião triste
Quem não se lembra que no transcorrer das insatisfações e da determinação de dar ciência dos fatos que ocorriam em Santo Amaro, ao Governador, ao Comando da Polícia Militar da Bahia, a OAB, à Imprensa, foi promovida uma reunião na sede do Poder Legislativo de Santo Amaro, com os senhores Vereadores e o digníssimo Comandante, onde o dito ficou pelo não dito e tudo foi retirado e celebrado o armistício com uma proposta sui generis de um almoço com camarões pistolas, regado a cerveja geladíssima no aprazível São Brás? 
O namoro acabou
Acabou feio! Valmir, que também teve a infelicidade de retirar tudo contra o Co-mandante e celebrou com ele a paz, recebeu o agradecimento. Por estar distribuindo um panfleto no bairro do Sacramento,  em resposta ao que foi distribuído contra ele pelo Chefe da Guarda Municipal e Guardas Municipais, por toda a cidade, devolvendo os termos ofensivos que lhes foram atribuídos, foi, diga-se de passagem, abordado com elegância por uma guarnição da Depol, comandada pelo Ten. Marcelo, que o conduziu até a Delegacia da Polícia Civil, no Bomfim, onde ficou detido por mais de uma hora e onde recebeu também manifestações de solidariedade, inclusive do Vereador César do Pão, entre outros, que forma a bancada governista, onde foi interrogado, sob o protesto da comunidade.


TERMO DE INTERROGATÓRIO -  02/07/11

Assistido pela defensora, a Bela. Patricia Cardoso da Silva de Souza, OAB/BA, 13381. Cientificado de seus Direitos Civis e Constitucionais, inclusive, o de permanecer calado, INQUIRIDO PELA AUTORIDADE. RESPONDEU QUE: Recentemente, foram distribuídos neste município, panfletos anônimos denegrindo sua dignidade, onde sua foto foi exposta e após lhe insultava com diversas acusações injustas, tais como “gigolô, vagabundo que nunca gostou de trabalhar que recebeu dinheiro dc Marcos Medrado, de Alfredo Mangueira’; QUE, ainda segundo informações de populares, tal panfleto estaria sendo distribuído, pelo próprio chefe da guarda municipal; QUE, por via destes insultos, também resolveu confeccionar panfletos, onde denuncia a forma que foi denegrido; QUE, reconhece a responsabilidade pelo panfleto com o título de “UM PSEUDÔNIMO OU UM CRÁPULA, UM CANALHA ANÔNIMO COVARDE?; QUE, também reconhece a responsabilidade por todo o teor contido no referido panfleto; QUE, inclusive, todas as denúncias existentes no panfleto já estão sendo investigadas pelos órgãos competentes; QUE, mais uma vez reitera que, apenas tomou tal atitude de confeccionar o tal panfleto, depois que sua dignidade foi denegrida, com injustas acusações.. ..

UVB REPUDIA A PRISÃO DO VEREADOR VALMIR FIGUEIREDO EM SANTO AMARO

A União de Vereadores da Bahia ao tomar conhecimento que o vereador Valmir Figueiredo foi detido para prestar esclarecimentos na delegacia, por estar distribuindo no município um manifesto com denúncias de supostas irregularidades do Prefeito, repudiou ontem a ação, sob o argumento que é prerrogativa do legislador fiscalizar e denunciar as irregularidades cometidas pelo executivo.
``O vereador não pode ser detido em seu município por estar exercendo suas obrigações. Em um estado democrático temos que saber conviver com o contraditório e a oposição´´, afirmou  o vereador Joceval Rodrigues presidente da UVB.
A UVB acredita que as prerrogativas do vereador precisam ser respeitadas e caso o vereador tenha cometido algum excesso o assunto deve ser conduzido ao judiciário, para que a lei decida quem está com a razão, jamais a delegacia. A UVB deve oficializar a SSP para ser analisado se houve abuso por parte da polícia e se possui indícios de subordinação do poder policial ao chefe do executivo municipal.
Joceval conclui fazendo analogia a data de hoje com o fato, ``hoje comemoramos 188 anos de independência da Bahia e não podemos aceitar que atitudes repressoras como esta aconteçam em nosso Estado.

Deputado CLAUDIO CAJADO registra o fato .

Câmara dos Deputados 
Eu quero. Sra. Presidente, dar conhecimento ao plenário do absurdo que está acontecendo no Municípo de Santo Amaro, no Estado da Bahia. Lá, o Vereador Valmir Figueiredo, do PSC, foi arbitrariamente preso por estar denunciando irregularidades na Administração do Prefeito local.
Isso é um absurdo, Sra. Presidente, porque o Vereador, através da publicação de um manifesto, mostrou à sociedade, em uma data importante para a Bahia, que é o dia 2 de julho, o que está se passando na Administração do Município. A reação foi, justamente, prender o Vereador: um ato arbitrário, ilegal, que foi imediatamente revogado pelo delegado local. Por outro lado, ao carro de som que divulgou essas situações foi tocado fogo; ele foi incendiado.

SINDISER

No dia 16 de junho o Sindiser convocou os professores para uma reunião com o Secretário de Educa-ção para discutir as seguintes ques-tões:
· REGULARIZAÇÃO DA DATA DE PAGAMENTO ATÉ O 5º DIA ÚTIL COMO DETERMINA A LEI; 
· IMPLANTAÇÃO DO PISO NACIONAL DOS PROFESSORES; 
· RETORNO DO ADICIONAL DE DEDICAÇÃO EXCLUSIVA (D.E.) E EXPANSÃO DESTE ADICIONAL PARA OS PROFESSORES QUE NÃO O POSSUEM; 
· RETORNO DA ATIVIDADE COMPLEMENTAR 
( AC DE 20%) PARA OS COORDENADORES; 
· CONCLUSÃO DA PROGRESSÃO SALARIAL DOS PROFESSORES NÃO CONCURSADOS 
0
As reivindicações já começaram a dar resultados. A princípio o pagamento do salário já foi regularizado e todos receberam no dia 1º de julho ( esperamos que o Governo mantenha este compromisso); o AC foi liberado para os coordenadores; os professores que perderam a D. E. estão sendo convocados para participar de projetos de ensino e terão de volta este adicional, e em seguida aqueles professores que não possuem a D.E. serão também contemplados; o Secretário de Educação informou que está providenciando o levantamento do valor da folha de pagamento com o novo piso nacional e que a progressão salarial será realizada por etapas tendo com critério o tempo de serviço prestado.
Mais uma vez o Sindiser garante vitórias para os servidores municipais, sempre prezando pelo diálogo, porém, nunca descartando a possibilidade de medidas mais severas quando a discussão pacífica não surtir efeitos. 
ATENÇÃO SERVIDORES ADMINISTRATIVOS:
Em breve VOCÊS terão boas notícias. Aguardem.
SINDISER, SINDICALISMO INTELIGENTE E RESULTADOS CONCRETOS.
“Se Deus é por nós quem será contra nós”. 

SINDICELPA

SANTO AMARO VIVEU DUAS GRANDES DATAS.



14 de junho de 1822, antecedeu o 2 de julho para chegarmos ao 7 de setembro. Foi com muita luta que as conquistas do povo brasileiro foram se concretizando e até hoje é necessário que continuemos unidos, coesos e determinados em conquistar todos os dias, a ampliação das nossas liberdades individuais e políticas, sem o que retrocederemos no tempo e deixaremos de lado todos os princípios que norteiam um povo desejoso em avançar em todos os campos, como o social e fortalecer a luta de cada categoria. 
Nós do SINDICELPA, integrantes dessa comunidade que tem o que comemorar pela sua participação nas lutas libertárias do Brasil, nos irmanamos aos santamarenses que com brilhantismo fizeram realizar essas datas, cultivando pelas suas ruas, o civismo, coisa rara nos dias de hoje.
É assim, e também com essa determinação, que o  nosso Sindicato atua perseguindo sempre a satisfação da nossa categoria no ramo do papel, aqui em Santo Amaro, para torná-la respeitada por todos. Por isso, é que estamos em permanente vigilância junto à Penha Papéis e Penha Embalagens, para que os direitos dos seus trabalhadores sejam assegurados e que outras conquistas sejam alcançadas para o bem coletivo. Sem luta não há vitória. 


Câmara de Vereadores


A Câmara Municipal de Vereadores de Santo Amaro, comemorou, como faz todos os anos no dia 14 de Junho, os 177 anos da assinatura da memorável ATA de 14 de Junho de 1822, com uma palestra proferida pelo Embaixador Plenipotenciário do Brasil Chefe do Departamento de África, Ásia e Oceania do Ministério de Relações Exteriores do Brasil, Paulo Cordeiro de Andrade Pinto, e a entrega de Títulos de Cidadania e das Comendas Marquês de Abrantes e José Silveira, a várias personalidades, destacando-se o TÍTULO DE CIDADÃO BENEMÉRITO DE SANTO AMARO, ao ex-Ministro das Relações Exteriores do Brasil, (Governos Itamar Franco e Lula) Celso Luiz Nunes Amorim, ao empresário Florisvaldo Rodrigues dos Santos (Lojas Alvorada e Hotel da Purificação) e ao sr. João Pires Neto (Pastor Evangélico e ex-Gerente das Lojas Universal e Maia) e da Medalha Marquês de Abrantes à Embaixatriz Ana Maria Amorim (grande benfeitora do Grupo Folclórico ``Caretas do  Acupe´´), ao palestrante dr. Paulo Cordeiro e ao sr. Lourival Correia Lima (benfeitor da Guarda Mirim de Santo Amaro), e da Comenda José Silveira aos médicos drs. Elvira Queiroz, Lauro César Freitas e Anibal Alves Peixoto. A festa foi realizada com grande clamor cívico, começando pela manhã com desfile de Escolas, Guarda Mirim, o Tiro de Guerra de Cachoeira, além do hasteamento das Bandeiras Oficiais da Bahia, do Brasil e de Santo Amaro, culminando com a solenidade à noite com a palestra do E mbaixador Paulo Cordeiro de Andrade Pinto, que discorreu da importância da Memorável ATA para a história da Independência do nosso país.
Disse o dr. Paulo que os primeiros Embaixadores do Brasil na Europa eram todos santamarenses, destacando-se os três primeiros: Domingos Borges de Barros (Visconde de Pedra Branca), Miguel Calmon Du Pin e Almeida (Marquês de Abrantes) e João Maurício Wanderley (Barão de Cotegipe), tudo isso, reforçando a importância dos homens públicos santamarenses em relação à elite governante que se instalava no novo Império. Foi uma bela palestra que agradou sobremaneira à platéia que lotou a nossa tradicional e vetusta Casa Legislativa. Todos os vereadores estiveram presentes, revelando o apreço destes, mas também por toda a sociedade santamarense que alí se fez presente maciçamente. Foi uma bela e inesquecível festa produzida pela presidência da Casa e Vereadores.  

ECOS DO 14 DE JUNHO

1 - O Ministro Celso Amorim foi saudado pelo vereador Walmir Figueredo, autor do Título, que falou da importância do homenageado que possui um dos melhores ``curriculun vitae´´ da República,  além de ser o responsável pela política externa do Brasil nos governos Itamar Franco e Lula da Silva.

2 - O Vereador José Carlos Rocha Lima saudou a Embaixatriz Ana Maria Amorim, destacando a grande ajuda dada aos ``Caretas do Acupe´´ nas suas apresentações no exterior (Haiti, África, Europa e Estados Unidos), e aos médicos que receberam a Medalha José Silveira.

3 - Aproveitando a presença do Ministro Celso Amorim no evento e de seu prestígio no exterior, o pessoal da AVICCA (Prof. Arnord Ramos, Pelé, Jorge Santana e Sidney), entregaram a este, um dossiê sobre a contaminação por metais pesados no estuário do rio Subaé provocado pela COBRAC. O Ministro prometeu ajuda.

4 - A Comissão Organizadora comandada pelo Presidente Artur Suzart e composta ainda pelos ex-Vereadores Cristina Nunes, Chico Porto, Itagildo Mesquita e do Assessor Antonio Carlos que muito contribuiram para o brilhanstismo da festa. 

5 - Para quem não sabe, ou finge não saber, o 14 de Junho é uma das mais importantes data cívica do Brasil. Quem duvidar que leia o livro ``Cidade da Bahia´´, do escritor Antonio Rizério.

6 - O Ministro Celso Amorim, no seu curto agradecimento, falou ser para ele uma honra ser Cidadão de uma terra muito importante para a história do Brasil.

7- Comovente, e ao mesmo tempo cheia de graça, foi o agradecimento da Drª Elvira Queiroz, que destacou a importância para ela, daquela Comenda. Encerrou dizendo a célebre frase: ``Tudo como dantes no quartel de Abrantes´´. Belo e inteligente trocadilho.

8 - O Vereador Jair do Derba saudou o palestrante, Embaixador Paulo Cordeiro e sua esposa, Embaixatriz Vera Lúcia Estrela Pinto.

9 - Além dos Títulos do Ministro Celso Amorim, outorgado por Walmir Figueredo, o de João Pires Neto, foi outorgado pelo Vereador César do Pão e o de Florisvaldo Rodrigues, pelo Vereador Luciano Caldas.

10 - A professora Maria Mutti representando a Fundação NICSA a qual Conselho pertence, entregou a Comenda José Silveira aos médicos homenageados.

A produção desse material é de autoria do Prof.º Itagildo Mesquita






Edney Santana

Carta aos mestres 

Quando cheguei a 5 ª série do 1º grau no Pedro Lago, um medo sentava sempre comigo na carteira: ser rebaixado e voltar para a 4ª série. Naquele tempo esse medo não era absurdo, era uma possibilidade, havia grandes mestres e o sistema não era tão conivente com a ignorância como é hoje.
No Pedro Lago uma professora mudou pela 1ª vez minha história através da educação, a Pró Norma, de língua Portuguesa. Lamento naquele tempo não haver celulares ou máquinas digitais filmadoras, teria registrado muitas de suas aulas maravilhosas.
Certa vez a Pró Norma fez na sala um estudo com a letra de “Maria Maria” do Milton Nascimento, foi o suficiente para despertar em mim o encanto pelas palavras e literatura, sem falar que “Maria Maria” foi o primeiro texto político que tive contato, a Pró Norma abordou através de “Maria Maria” questões como valorização da mulher negra, tema que só recentemente entrou no currículo oficial.
Na mesma escola Milton Nascimento cruzara outra vez meu caminho, desta vez com “Coração de Estudante”, nas aulas de redação com a professora Maria Helena. Inesquecível professora, e a primeira a me suspender das aulas, a primeira suspensão da série que iria tomar na Pedro Lago, mas a primeira aluno algum esquece.
Nas aulas de redação com a Pró Maria Helena fui aprendendo a ordenar os pensamentos, lia nos jornais na Banca de revista Revicoque (vendia jornais pelas ruas, meu melhor cliente era Vadinho Gordo, da sapataria São Miguel, todos os dias comprava um Atarde) e aproveitava para reescrever os textos com as instruções da professora, fui aprendendo a falar também através das palavras escritas. Era um mundo novo poder guardar no papel as coisas que nem sempre podia-se dizer com a língua.
Muitos anos antes disso tudo na Escolinha São José, na Rua Direita, fui alfabetizado pela Pró Hermínia, nunca esqueci do meu primeiro dia na Escolinha, quando cheguei lá estava tocando “Debaixo dos caracóis dos seus cabelos” no rádio, lembro da Pró Hermínia segurando minhas mãos para tentar melhorar algo que me acompanharia por toda vida: minhas letras monstruosas.
Muitos e muitos anos depois outro professor mudaria minha história mais uma vez: O professor Anchieta Nery, da UFES. Pelas suas mãos um simples aluno, que nem era um exemplo de dedicação aos estudos, de família pobre e sem nenhum brilho especial aos olhos de muitos, publicou um livro pela Universidade.
Ter um livro publicado por uma universidade e no caso da UEFS uma das melhores (segundo avaliação do MEC) do país foi decisivo para minha formação e para ter segurança nos caminhos a seguir, o professor Anchieta mostrou o quanto uma história aparentemente improvável de vida poder ser possível e concreta.
Tenho total consciência o quanto alguns dos meus professores foram decisivos para minha formação, pessoas que dedicaram suas vidas para “ajudar” na formação de tantas outras vidas. Todas às vezes que entro em uma sala para lecionar levo comigo lições aprendidas com cada um desses mestres inesquecíveis.
Segurar nas mãos de um aluno e ajudá-lo a coordenar suas letras, ensinar a um garotinho a ler Milton Nascimento além da sua própria música e através disso reafirmar o essencial de nos respeitarmos independente de cor, sexo ou posição social, ajudar seus alunos a ordenar ideias no papel, acreditar no potencial de cada um, publicando um livro e entender suas carências e deficiências? De um aluno nascido no berço na miséria social deste país? Isso é ser Professor-Educador, saber-se profissional da educação, saber que “formar” gente é antes de tudo formar a si mesmo constantemente.
O magistério no Brasil vive uma crise sem precedentes, se nada for feito nas próximas décadas simplesmente faltará pessoas dispostas a tornarem-se professores. Ser professor hoje é quase uma opção masoquista. Uma nação tolerante com a ignorância, estupidez e que não respeita seus professores e professoras não poder ser feliz. Hoje quando vejo políticos criminosos indicando para trabalhar como professores substitutos gente sem a menor formação sinto-me impotente e triste, nas escolas públicas há uma festa de contratação de pessoas semi-analfabetas responsáveis pela formação das nossas crianças, tudo com aval de vereadores e prefeitos e olhares complacentes do Ministério Público e Poder Judiciário.
Tenho um orgulho danado dos bons professores e professoras que tive, junto com minha educação familiar transformaram uma vida improvável em uma existência produtiva. Faço das minhas realizações profissionais e intelectuais um monumento de agradecimento a cada um deles e espero que os alunos de hoje, mesmo em meio ao banditismo pedagógico que atua livremente neste país, no futuro lembrem-se também dos seus bons mestres com carinho, gratidão e, sobretudo respeito.

Contatos com o autor:
 http://cartasmentirosas.blogspot.com

Selvageria descontrolada

O ex-Vereador, o ex-Presidente da Câmara de Vereadores, o ex-Secretário de Governo da Prefeitura, gestão João Melo, sr. Jerônimo Santos, (Jeru) teve o seu estabelecimento comercial, localizado na famigerada Passarela do Álcool, na Rodoviária, arrombado por prepostos do Prefeito Ricardo Machado, sem  mandado judicial, caracterizando uma ação de extrema violência contra o cidadão, principalmente por se tratar de pessoa conceituada na cidade, haja vista, os cargos públicos que já ocupou. Diante de tal violência, os assistentes, presentes ao local, caracterizaram a ação, com uma operação de guerra, promovida pela Gestapo Municipal de Santo Amaro.
A maluca e atabalhoada operação se desenrolou na sexta-feira, dia 15, e no mesmo dia, o final feliz. O Kiosk da Reni foi reaberto logo a seguir por uma liminar concedida pela Dra. Bárbara. Na sequência das fotos, a Kombi da Gestapo, viatura da polícia dando cobertura, o pé de cabra que arrombou o estabelecimento, Jerônimo Santos prestigiado por amigos, cadeiras e equipamentos no passeio e o advogado Emanuel de Jesus, fazendo a petição solicitando Liminar para reabertura e reintegração de posse do Kiosk.
Mais uma trapalhada do prefeito Ricardo.





Sidney

Não se assustem se matarem gente!



Meus amigos, quem avisa amigo é! Santo Amaro passou de pacata e entrou para o rol das cidades violentas, verdade!
Tudo de ruim está acontecendo aqui, sob os olhares incrédulos dos amantes da tranquilidade e da paz e sob os aplausos da bandidagem e dos que querem ver o circo pegar fogo e dos defensores do quanto pior melhor. Além da violência urbana, estamos assistindo a violência política, promovida pelo alcaide, travestido de pacificador e de homem de fé. Fé, em que a violência resolve todos os problemas e esconde desmandos e incompetência. O prefeito Ricardo Machado, não suporta críticas à sua atuação, principalmente da maneira formulada pelo vereador Walmir Figueredo: ácida, perspicaz, contundente e estampada com suas fotografia e assinatura.
Automovel incendiado
A cidade foi infestada com um panfleto, ‘ assinado’ por um cidadão santamarense, escondido na desfaçatez, que não é típico de homem sério, e atribuído ao prefeito como mentor e promotor. Ninguém fica feliz em ver a cidade caminhando para o fundo do poço, com autoridades se degladiando em busca de notoriedade. Usando do cargo e da ascensão sobre autoridades, o prefeito manda prender - assim diz Walmir. Uma coisa é verdadeira: se Walmir extrapolou, se mentiu, se distorceu fatos, que seja acionada a justiça para dirimir dúvidas e restabelecer a verdade. Invés disso, a violência é praticada e substitui o bom senso. O desespero é o sinal dos fracos que buscam no uso da força, a prevalência da ignorância. Santo Amaro caminha a passos largos para que um dia a Praça da Purificação seja um tatame, esteira sobre a qual se pratica o judô. Já existe um contendor: o Prefeito.   
Com esse carro Georgenes, do Stúdio da Pizza, aumentava a sua receita financeira para a sobrevivência da família. De há muito, esse rapaz é vítima de perseguições políticas, por não rezar na cartilha do senhor prefeito, e já teve o seu restaurante interditado por fiscais de Ricardo; na Câmara de Vereadores, enquanto filmava uma sessão, foi agredido fisicamente pelo Chefe da Guarda Municipal, sr. Gênis, e agora, recentemente teve o seu carro de publicidade criminosamente incendiado, depois de uma divulgação promovida pela oposição. É muita coincidência. O crime foi praticado às 2 horas da madrugada, e mesmo assim foi assistido pela câmera indiscreta do INSS que registrou o veículo onde estavam sendo conduzidos os marginais.
Deus, é santamarense. O veículo incendiado portava na sua mala, um cilindro de gás, com 27m³ e por muito pouco não tivemos uma tragédia promovida por esses irresponsáveis. À frente desse carro estava estacionada uma camionete de propriedade de Fernando Santana e no fundo um outro veículo, com tanque cheio de gasolina. Nenem, mecânico, foi o anjo da guarda dos moradores, viu quando o veículo ganhava chamas e acordou os moradores vizinhos que debelaram o fogo, quando este já se aproximava do cilindro de gás.Sem a intervenção de Nenem, todo o quarteirão podia ir pelos ares, com as explosões que se seguiriam à primeira, Agora, cabe à polícia, a identificação dos criminosos. Uma mulher é suspeita de envolvimento no crime, mas até o momento não foi identificada. 

Amália Patrícia


"O não poder das mulheres"

Quando comecei os Estudos de Gênero, deparei-me com um artigo da profª Ana Alice que l era encabeçado por uma frase do livro de Marcela Lagarde: Cautiveiros de las mujeres, monjas, putas, presas y loucas. A frase escolhida pela minha professora dizia: “O poder é a essência do cativeiro da mulher e dos cativeiros das mulheres” (1993:153).
Nunca vi o poder como uma coisa ruim que degrada as pessoas, mesmo sem ter lido uma frase se quer do filosofo do poder, o meu lindo Foucault, já sentia certa simpatia pelo poder, mas porque nós mulheres entregamos nosso poder nas mãos dos homens? Não é nenhuma novidade que o feminismo no Brasil surge nas Universidades, entre intelectuais brancas e burguesas,esse florescer não questiona o domínio das mulheres no âmbito domestico, indaga a exploração destas pelo mercado de trabalho, a mulher tinha saído de casa e adentrado nas indústrias têxteis nos finais da década de 70. Então essa inclusão e a saída da esfera domestica nos confere poder? Não, isso nos sobrecarregou, surge nas nossas vidas a dupla jornada de trabalho, trabalhar fora e depois cuidar da casa, costumo até dizer que temos uma tripla jornada de trabalho, temos que deitar com nossos parceiros e ter uma performance impecável tipo a atriz “sibilante e insinuante” da novela das 21h.Entretanto com essa anomalia que algumas de nós ostenta como se fosse a coisa mais maravilhosa do mundo: trabalhar, ser casada, ter filhos e ir ficar magra, não permitiu que debatêssemos sobre a nossa autonomia de fato e de direito, esquecemos de tomar o espaço publico na trajetória política brasileira.Vejamos como ainda podemos encontrar mulheres que estudaram muito, ascenderam profissionalmente, casaram e deixaram toda representação da sua vida publica nas mãos de um marido,as que não casaram ou separadas são representadas pelo papai, irmão,tio, amigo gay, mas sempre a figura masculina à frente representando publicamente. O espaço publico é hegemonicamente gendrado¹ pelo masculino. As mulheres estão excluídas da política representativa, posso contar nos dedos de uma mão quais foram as vereadoras da minha cidade, isto sem mencionar a assembleia legislativa, entre outros espaços onde transitam o poder político. Meus cabelos arrepiam de horror quando ouço a frase :”não sou política”.Aff que preguiça de gente que fala isso, como se o fazer política fosse algo que pode ser negado numa sociedade altamente dependente de serviços e servidores. Pois bem, por mais que a gente estude, ganhe muito dinheiro, fique “gata da academia” e domine todos os segredos do sexo tântrico, o poder não vai estar conosco, enquanto não entendermos e sejamos educadas para participar onde ele penetra. Esse é um caminho longo, mais como tudo que é social é uma invenção, que tal a gente reinventar, desconstruir e sairmos dos cativeiros do patriarcado conservador dos sexistas que usam do fundamentalismo religioso que nos coloca como serpentes do pecado, e do senso comum de que nós mulheres somos as piores inimigas uma das outras? Vamos começar a fazer valer na nossa cidade o cumprimento da Lei Maria da Penha, aqui ainda se retira queixa de marido, irmão, ou seja, o machinho misógino que possa ser enquadrado por esta, porque a cultura infelizmente se sobrepõe de forma leviana à soberania da lei. Mas nem tudo no nosso mundo do não poder é tão ruim, a coisa tá mudando sim, quando vemos nos noticiários que o homem mais poderoso do mundo (não é Obama é o safado do Dominique Strauss-Kahn diretor-gerente do FMI) foi derrubado por uma imigrante da Guiné, a camareira o acusou de agressão sexual, este é um marco para o feminismo negro, algo muito bom está surgindo, mesmo que seja em Nova York. Vamos abrir os grilhões invisíveis que nos limitam a uma relação de conjugalidade baseada na propriedade privada, vamos nos libertar, vamos libertar os homens também, vamos compartilhar os poderes, porque isso é bom, justo e digno.
¹gendrar significa limitar algo a um gênero, ex: homens são agressivos, ou mulheres não sabem dirigir

Editorial

È fácil entrar no mundo do crime,  difícil é parar, é sair dele ileso e com a consciência tranquila. A violência no município vem se acentuando, deixando a população em permanente estado de sobressalto, em completo estado de letargia, sono profundo, com medo de sair, de assumir posições dentro da sociedade por temer que o sucesso seja  determinante para que contra ela se vire a ira dos criminosos, e lhe seja imputado crime que não praticou, ou, sequer pensou. 
Os despreparados para o exercício de qualquer atividade, não imaginam o dano que provocam à sociedade, exatamente por desconhecerem que o homem é um ser social, político,  e não um contraventor que precisa ser regulado pelos que fazem da violência as suas ferramentas de trabalho, substituindo o diálogo, o entendimento, a paciência, pela estupidez. Desde a campanha de 2008, estamos vendo a renovação da intolerância, exatamente de onde deveria vir a proposta da paz: das nossas autoridades. Enquanto não nos determinarmos a conte-la, ela vai crescer como um bolo exageradamente cheio de fermento. Marginais são abatidos como gado, nas ruas; políticos são admoestados e preso; militantes políticos são agredidos por autoridades policiais municipais; carro é incendiado na calada da noite; estabelecimento comercial é arrombado e os equipamentos despejados. 
Ao prefeito, ao Ministério Público, aos magistrados das Varas Crime,Civel e Eleitoral, ao Comandante da Policia Militar, aos Delegados Plantonistas e Regional da Polícia Civil, a pergunta: Até quando vão permitir que a comunidade santamarense viva em permanente estado de pânico? A justiça não é apenas para ladrões de galinha, é para todos. Esse estado catastrófico que se está desenhando, não pode continuar.
Santo Amaro exige que as pessoas sejam respeitadas.

terça-feira, 5 de julho de 2011

Capa Edição 114

Aloisio Lago

A falta de compromisso tem no desrespeito a sua grande marca

A casa é sua, e aí você pensa que é  soberano. Não é bem assim. Você contrata a cozinheira, a arrumadeira, o servente, o jardineiro, o motorista, o professor de banca, o professor de música, só não admite o profissional para tomar conta do cofre, a menos que empregue também o agente funerário. Desde o primeiro momento repudiamos, mas respeitamos o direito do prefeito Ricardo Machado de nomear para as funções e cargos de confiança, pessoas suas, de conduta ilibada, preparadas para o mister público, com afinidade com a sociedade e dispostas a servi-la. Se a afinidade não existe, por conseguinte, nada tem para dar, o inverso predomina e percebe-se que elas existem apenas para cumprir um ritual determinado pelas constituições para a formalização das contas a serem "julgadas" pelas Câmaras de Vereadores e pelos Tribunais de Contas, o resto, é mera formalidade. Os servidores públicos, esses sim, contratados, efetivos e concursados, dão suporte à desordem, fazem sala para os contribuintes, inventam as mais variadas desculpas, ficam escabriados com os descalabros e a desorganização e se desculpam como se culpados fossem. Como se pode admitir que o Secretário de Finanças da Prefeitura, sr. Carlos Apolnário, não se faça presente à repartição, diáriamente, para cumprir com as obrigações e responsabilidades? O contribuinte que requer um parcelamento de IPTU, de ISS, que solicita uma Certidão Negativa para participar de uma licitação qualquer, enfrenta uma via crucis de mais de 7 dias , porque S.Excia. é de fora, não reside no município e não tem dia determinado para cumprir com o seu expediente. No governo João Melo, o Secretário de Finanças se fazia presente todos os dias à repartição e no primeiro ano desse governo, o Secretário trabalhava todos os dias, faziam jus ao que recebiam.  Sabem por quê? Comprometimento com a cidade e sua gente. Hoje, o contribuinte paga ao Secretário de Finanças, para passear em Santo Amaro e deixá-lo entregue a sua própria sorte e sujeito a ficar de fora de um processo licitatório, por irresponsabilidade dupla: do Prefeito e do Secretário de Finanças. 

O MANHOSO E OS APALERMADOS

Em política, é prudente, ninguém dizer: dessa água não beberei, muito menos desse pão não comerei. Também é ajuizado não usar a palavra irreversível, que quer dizer: que não pode voltar ao estado anterior.
Também é recomendado não afirmar: no palanque de fulano não subirei, muito menos no de sicrano.
O ex-deputado Genebaldo Correia, para muitos, é considerado fora do ringue ou dos palcos da política, pela sua desastrada performance na eleição de 2010, quando teve um pífio desempenho, humilhante mesmo, para quem  participou dos banquetes oficiais e também ajudou a  entregar parte da nossa riqueza, aos americanos, leia-se Bush, pai, na permissão da exploração das nossas patentes (reserva florestal) na Amazônia. Política é feita por profissionais, que é o seu caso, e não para quem tenta adivinhar ou se passar por sabido, pois, logo, é engolido pela raposa, e saboreado com um bom vinho, na temperatura ideal, nada de gelado. Frio. 
Longe dos palanques e dos holofotes, o ex-deputado está pongando no carro dos outros, e já sinaliza estar passando de pato a ganso. Quer tomar o comando das ações que se instalam em Santo Amaro, para a proposição do impeachement do atual e desastrado prefeito Ricardo Machado. Para isso, abre as mais mirabolantes propostas para os incautos do DEM, do PTdoB e do PCdoB, que como os que acreditam em miragem, vão no canto da sereia: composições políticas em 2012 para viabilizar candidaturas à prefeito, participação efetiva e movimento popular para desestabilizar o prefeito Ricardo e por aí vai. Quem tem telhado de vidro, não  joga pedra no do vizinho.
O que vivemos hoje em Santo Amaro é fruto das diversas e incompetentes administrações, ao longo de mais de 40 anos. É claro, a atual administração não é pior do que as de Renato Leone, Edval Barreto, Genebaldo Correia, em duas oportunidades, oito anos ,  Pimenta, seis anos, (que até hoje nega não ter saído das hostes genebaldistas) de João Melo, oito anos,  (seu filhote no  primeiro mandato) e Manoelzinho, seu fidelíssimo escudeiro. Em curso um pensamento para propor o impeachement do prefeito Ricardo. Quem defende a tese é o vereador Valmir Figueredo, e é ai que o ex-deputado está pongando, com o propósito de retornar as atividades políticas em Santo Amaro. Para tanto está promovendo reuniões com o DEM, PV, PCdoB, para lhe darem legitimidade e condições para assumir o comando das operações. Que legitimidade tem o ex-deputado para propor ações que signifiquem moralidade administrativa e correção no trato do dinheiro público? Nenhuma! Nos seus dois períodos em que administrou o município teve contas rejeitadas pelo Tribunal de Contas, muitas dúvidas ficaram sobre a aplicação de verbas, notadamente as federais, muitas interrogações até hoje persistem sobre a licitude dos inúmeros Seminários que consumiram recursos financeiros. Que credibilidade tem o ex-deputado para se arvorar a paladino da moralidade pública? Os seus atuais seguidores estão dando tiros nos pés.

AS ESTRIPULIAS DO PT

Parece incrível, mas é acreditável. Parece hilário, mas é sério. Parece um pesadelo, mas tá todo mundo acordado. Ninguém precisa sentar, pode ficar em pé, mesmo. Ricardo Jasson Machado, prefeito de Santo Amaro, sem nenhum compromisso com o Partido dos Trabalhadores, sem nenhum pensamento ideológico, vazio, no sentido lato da palavra, tem o seu nome aceito para figurar entre as personalidades políticas petistas de Santo Amaro, radicais, extremistas, e mais istas. Foi uma luta danada, entro, dizia Ricardo, não entra, dizia Militão; entro, insistia Ricardo, não entra, dizia Joaquim (apelidado por Genebaldo por Quincabaldo); vocês vão ver, dizia Ricardo, não entra, dizia Bobô (chamado por Genebaldo de Bobobaldo)...
Não é que Ricardo vai entrar e escantear todo mundo? Tudo que se falar do PT santamarense não deve ser descartado, porque os seus desencontros superam qualquer pensamento lógico. Militão vai sair candidato a vereador? Será que já negociaram a Presidência da Câmara? Paulo Anunciação e Grande foram de fato expulsos do Partido? Como então serão candidatos a vereador por essa agremiação? A tropa de choque do Prefeito vai se filiar ao PT e tomar conta da agremiação? Nadia Pinto que foi sacada da Direc por Ricardo e lhe fez acusações, tem alguma esperança de uma vaga na chapa de candidatos em 2012? Olhe, que a moça fez um esforço grande para a entrada do homem forte no partido da estrela. A proposta do PT de Santo Amaro para expulsar o Governador Wagner, que segundo os santamarenses traiu seus companheiros, não apoiando a chapa Flaviano/Reinaldo, foi pra valer ou jogada para a platéia? Doravante quem vai falar pelo PT será Militão, Bobô, Joaquim ou Ricardo? Ou será que o triunvirato vai desaparecer para surgir o quarteto ricardista? Quem vai blindar o prefeito que é acusado de malversação do dinheiro público, improbidade administrativa, superfaturamento em obras e serviços? Será que o governador vai interferir junto ao Tribunal de Contas dos Municípios, para dar um jeitinho e rever sua posição referente à prestação de contas de 2009, rejeitada por duas vezes por esse Tribunal? Quem vai atuar junto aos vereadores para que votem contra a decisão do TCM e absolva Ricardo das acusações de mutreta? Como ainda diz o PCdoB nos movimentos populares: O povo, unido, jamais será vencido. O que se pode esperar de tudo isso? Tudo! O PT local sem discurso, agora, vai encontrá-lo perdido em algum lugar e com novas bandeiras? Ou vai para as ruas com o novo líder a tiracolo, desfraudando as suas bandeiras esmaecidas pela falta de convicção política e ideológica? Dos petistas históricos e ranzinzas quais deles ocuparão cargos na admi-nistração Ricardo Machado? O vereador Valmir Figueredo deitou e rolou em cima do PT na última sessão da Câmara de Vereadores, e é ele o mentor da proposta de impeachement do prefeito.O poder de barganha do prefeito Ricardo aumenta com o seu ingresso no Partido dos Trabalhadores, mas será que vai sobreviver ao impeachement (se realmente vier a acontecer). Sobreviverá e passará como um grande gestor financeiro desse município, e ficará de fora do Ficha Suja, por causa das contas de 2009? Sobreviverá de igual modo às de 2010, que dizem supercabeludas?  

Advogados Associados

Dúvidas Frequentes e Esclarecimentos Jurídicos Sobre a CTPS


Gustavo Peixoto, Gustavo Ribeiro e Diego Fráguas
No dia-a-dia da advocacia trabalhista, presenciamos diversas dúvidas referentes à CTPS - Carteira de Trabalho e Previdência Social – por parte do empregado e do empregador.  
É necessário esclarecer alguns pontos fundamentais da Carteira funcional. Em primeiro lugar, é imprescindível afirmar que todo cidadão precisa da CTPS para trabalhar. Ao ser admitido, o empregado deve entregá-la, mediante recibo, ao empregador, que tem o prazo de 48 horas para assinar e anotar, em especial, a data da admissão, a remuneração, as condições especiais (se houver), por fim devolvendo-a (art. 29, CLT). Outras anotações a serem feitas são: cargo/função, jornada, férias, acidente do trabalho, etc. Deve entregar, ao empregador, a CTPS mediante recibo, por se tratar de um meio de prova, no caso dele perder ou extraviá-la (o que pode até gerar indenização a título de dano moral). De igual modo, para se prevenir, deve o patrão emitir o recibo de devolução. Outro fato a ser observado, é no sentido que ao haver demora na entrega da CTPS por parte do empregado, a anotação deve ser feita com data retroativa ao real início do vínculo de emprego. Ou seja, regra geral, o começo do vínculo coincide com o dia em que o trabalhador efetivamente passa a trabalhar, e não quando ele entrega a sua Carteira.
Quando se referir ao salário, não se pode anotar da seguinte maneira: “01 salário mínimo”. Deve-se, na verdade, colocar sua quantia nominal expressa: R$ 545,00 (quinhentos e quarenta e cinco reais).
Da mesma forma, o empregador deve fazer as anotações devidas na CTPS de seu funcionário, ao término do contrato de trabalho, dando “a baixa”. A data do final do vínculo empregatício deve ser registrada, e, por fim, o documento assinado.
Quanto à possibilidade de o empregador poder anotar o motivo da demissão, pode-se afirmar que lhe é vedado efetuar anotações desabonadoras à conduta do empregado em sua Carteira de Trabalho, por se tratar de um documento pessoal que lhe acompanhará por toda vida e por gerar dano a sua imagem (art. 29, §4º, CLT). Sendo assim, não se pode relatar o motivo da demissão, especialmente, quando se tratar de justa causa. Se descumprir este preceito legal, o empregado terá sua vida profissional manchada por toda sua carreira, razão pela qual poderá buscar reparação pelo dano moral sofrido.
Outra dúvida recorrente, diz respeito a poder trabalhar em novo emprego sem que o último patrão tenha dado a baixa na Carteira. Primeiramente, vem a dúvida dos próprios trabalhadores sobre o fato. Esta situação ainda é agravada pelos próprios empresários, que, na maioria das vezes, não contratam o funcionário, sob a alegação de que não foi dado a baixa na CTPS, e, consequentemente, que ele estaria impedido de trabalhar.
Esclarecendo de maneira simples e objetiva, tanto para os trabalhadores como para os empregadores, não há qualquer impedimento legal para tal fato. Pode-se fazer uma nova anotação de trabalho na CTPS, mesmo que exista outra sem dar baixa. Caso contrário, o trabalhador seria punido triplamente por ato ilícito do patrão: uma, porque não fez as anotações devidas; duas, pois estaria proibido de exercer seu labor (princípio tutelado constitucionalmente); e, três, ficando impossibilitado de sustentar a sua própria família. 
No mesmo sentido, para afastar a referida dúvida, apresenta-se o fato de a pessoa ter dois vínculos empregatícios, ou seja, possui dois registros em aberto na CTPS. Ao conseguir o segundo emprego, pode-se trabalhar neste com a CTPS em aberto, no que diz respeito ao outro vínculo, sem qualquer problema. Assim, o indivíduo pode ser contratado em um novo emprego, sem que o outro dê a baixa, adquirindo dois, três, quatro e quantos empregos simultâneos lhe convierem. Por que, então, não poderiam ser contratados em um novo labor sem que o outro desse a baixa?
Por fim, vale ressaltar que o registro de emprego na CTPS é um direito indisponível de todo e qualquer cidadão, ao conseguir um emprego. Por isso, o trabalhador deve procurar seus direitos quando violados, contratando um advogado de confiança, com referências de outras pessoas, para que preste o serviço de maneira íntegra, ética e, principalmente, para total satisfação do cliente.
No mais, esperamos ter elucidado suas dúvidas sobre CTPS. 
Conte com o nosso grupo “Ribeiro, Fráguas & Peixoto” para maiores esclarecimentos jurídicos, inclusive de assuntos diversos, nas próximas edições.

GUSTAVO T. A. PEIXOTO

Sidney

O nosso espaço, hoje, trás uma mensagem de esperança na nossa juventude e de aplausos não só para a professora Francine, também para todo o corpo docente, reconhecendo na sua direção a parceira consciente para a formulação de uma proposta educativa que marcou de forma efetiva o esforço em educar, no sentido lato da palavra, uma juventude, que um dia estará capacitada para dirigir os destinos da nossa nação.
Todos os que compõem a ESCOLA COOPERATIVA DE SANTO AMARO, inclusive os seus servidores, estão de parabéns, por apresentarem um trabalho digno dos maiores elogios, no Teatro Dona Canô, à comunidade santamarense e que reuniu quase uma centena de alunos artistas de forma brilhante.Que o exemplo seja copiado por outras escolas, públicas e particulares, e que as nossas autoridades responsáveis pela formação dos nossos jovens se conscientizem e se compenetrem dos seus papéis e contribuam para o crescimento educacional da nossa meninada que mostrou ser capaz de realizar tarefas mesmo aquelas que não foram vivenciadas por ela. Com orientação séria os meninos da COOPESA deram um show no teatro, digno de repetições, para estudante e capacidade do nosso professor. Quando menos se espera, vê-se no fundo do poço uma chama acessa, a iluminar.

Coluna do Betinho d`Saubara

CERIMÔNIA DE BEATIFICAÇÃO DE IRMÃ DULCE

 - Dia 22/05/2011, no Parque de Exposições de Salvador, realizou-se a simples e maravilhosa, a gigantesca e participativa, cerimônia de beatificação da “BEM-AVENTURADA DULCE DOS POBRES”.  Mas, o que é Beatificação? “A cerimônia de beatificação é uma celebração na qual a Igreja reconhece, por meio de um Decreto do Papa, um cristão como modelo de fé e de vida, propondo a Igreja local, onde ele viveu e atuou como exemplo de vida cristã”. Por essa razão, naquela inesquecível cerimônia religiosa - Irmã Dulce – que ao nascer dia 26/05/1914, recebeu o nome de Maria Rita de Souza Brito Lopes Pontes - foi “elevada à honra dos altares para que seu exemplo de discípula e missionária de Cristo, o Senhor do Bonfim, possa ser seguido e imitado como meio de viver e pregar a Boa-Nova do Evangelho”. O importante e marcante ato católico teve início com uma solene procissão integrada por Dom Geraldo Majella Cardeal Agnelo (que naquele ato celebrativo representou o Papa Bento XVI), Dom Murilo Krieger (Arcebispo de Salvador), arcebispos, bispos, padres, diáconos, seminaristas e religiosas de todo o país. O presidente Dom Geraldo iniciou a cerimônia “invocando a Trindade Santa e convocando a assembléia a reconhecer os seus pecados e a suplicar o perdão de Deus por meio do ato penitencial cantado”. Em seguida, iniciou-se o tão esperado “rito de beatificação da venerável Dulce Lopes Pontes com o pedido de Dom Murilo, dirigido ao Santo Padre, para que a Igreja inscreva na lista dos seus santos e beatos a venerável religiosa baiana”. Prosseguindo, em nome do Papa, Dom Geraldo pediu que fossem lidos os dados biográficos da futura beatificada e o decreto apostólico do Papa Bento XVI inscrevendo Irmã Dulce - a “Mãe dos Pobres”, a “Venerável Dulce” – “na lista dos santos e beatos da Igreja Católica, propondo-a como exemplo cristão para todos os fiéis” e anunciando 13 de agosto (“Dia de Dulce dos Pobres”): data que será celebrada a sua festa litúrgica. Na continuidade, após a leitura do decreto pontifício, com grande emoção, fortes louvores e palmas descerraram-se um véu que cobria a “foto da nova beata, propondo-a para a veneração”. Aproveitando deste emocionante momento, todos os participantes da cerimônia entoaram o hino da Bem-Aventurada Dulce dos Pobres: “Salve! Salve! Salve! Irmã Dulce do Amor. Irmã Dulce, tão querida e tão amada, ontem e hoje tão venerada. Acolheu crianças, jovens, idosos e doentes, entregues a divina caridade e da bondade”. Neste expediente, entrou em procissão solene a relíquia da beata (trazida pela Madre Geral da Congregação das Irmãs Missionárias da Imaculada Conceição), a agraciada, a miraculada Claúdia Cristiane Santos Araújo (que foi curada pela intercessão de Irmã Dulce) com um buquê de flores para colocar aos pés da foto da Bem-Aventurada (como sinal de gratidão pela graça alcançada). Logos após Irmã Dulce ser proclamada Bem-Aventurada pela Igreja católica romana, Dom Murilo fez um breve agradecimento ao Papa “por este presente que ele deu à Igreja do Brasil e da Bahia”. “A Bahia e o Brasil estão em festa pela beatificação de Irmã Dulce” (Dom Lorenzo Baldisseri / Núncio apostólico). “Irmã Dulce não está sendo beatificada para a agente achar bonita, é para seguir o exemplo dela, procurar viver como ela viveu ajudando as pessoas”. (Irmã Olívia da Silva).  A celebração de beatificação de Irmã Dulce foi um momento impar na História do catolicismo brasileiro. A celebração da fé! Pessoas doentes e carentes oraram esperançosas por muitas graças e milagres. A celebração da saudade! Rememorando o “Anjo Bom da Bahia” – magistralmente, os abnegados alunos do Centro Educacional Santo Antônio, teatralmente encenaram, cantaram e dançaram a história de vida de Maria Rita Lopes Pontes. A celebração da simplicidade! Não houve separação de ricos e pobres, todos participaram dignamente do evento, numa forma de reverenciar àquela que foi um dos maiores exemplos de simplicidade. A celebração da humildade! Não houve luxo, esnobação, estrelismo. A celebração da unidade! Homens e mulheres, idosos, jovens e crianças participaram harmoniosamente. A celebração do amor! “Sempre que puder fale de amor e com amor para alguém. Faz bem ao ouvido de quem ouve e à alma de quem fala”. (Irmã Dulce). A celebração da amizade! A celebração do carinho! A celebração do respeito! A celebração da doação! A celebração da emoção!A celebração do agradecimento!  A partir de agora podemos orar: Senhor nosso Deus / Recordando a vossa Bem-Aventurada Dulce dos Pobres, / Ardente de amor por vós e pelos irmãos, / Nós Vos agradecemos  pelo seu serviço a favor  dos pobres e excluídos. / Renovai-nos na fé e na caridade, / E concedei-nos a seu exemplo vivermos a comunhão/ Com simplicidade e humildade, / guiados pela doçura do Espírito de Cristo / bendito nos séculos dos séculos. Amém. Antecipadamente, IRMÃ DULCE É SANTA, independente das decisões da Igreja Católica Apostólica Romana, o povo já a proclamou como SANTA.  Nitidamente, sabe-se que “A irmã Dulce dedicou sua vida a amenizar o sofrimento do próximo. Só por isso ela já é santa, por tudo o que fez”. (José Serra). A cerimônia fez “reconhecimento católico da vida dedicada à ajuda de Irmã Dulce” (Elmo Bastos e Marcos Paulo Acácio). Nada conseguiu ofuscar o brilhantismo da festa. As friorentas chuvas não conseguiram atrapalhar a cerimônia. Elas serviram de fortes bênçãos. Foi um dia de paz! As pessoas quiseram participar de todos os momentos, calmamente participaram de tudo. O Agente de Polícia, o investigador Luiz Carapiá (Lotado na 12ª Delegacia de Itapoan / Salvador), juntamente com todo o efetivo policial, voluntários, médicos, enfermeiros, motoristas, repórteres e vendedores ambulantes – estão de parabéns pelos trabalhos realizados em prol da cerimônia de beatificação. A solenidade foi preparada com amor e carinho. A impecável organização logística esteve a cargo da Arquidiocese de São Salvador da Bahia / Obras Sociais Irmã Dulce. Muitos milagres realizados por intercessão da Bem-Aventurada Irmã Dulce serão reconhecidos, e brevemente estaremos realizando a sua canonização. 

SINDISER

O SINDISER há três anos iniciou o Projeto de Qualificação profissional visando oferecer para seus associados a possibilidade de ingressarem em cursos de capacitação por um valor praticamente simbólico. A iniciativa foi um sucesso e a procura foi tão grande que o presidente da entidade juntamente com a diretoria resolveu ampliar o número de vagas e estender os cursos para os dependentes dos associados e, também, para a comunidade em geral.
O objetivo maior é proporcionar qualificação profissional para o maior número possível de santamarenses, principalmente aqueles que não possuem condições financeiras — salientou Mauro Rosa, presidente do Sindiser.
Atualmente o Projeto de Qualificação disponibiliza 11 cursos: Operador de computador, digitador, projetista gráfico, assistente administrativo, administração de pessoal, assistente de contabilidade, secretariado, assistente de hotelaria, marketing pessoal, operador de telemarketing e auxiliar de vendas. Os cursos tem início imediato com turmas nos três turnos. A matrícula é R$ 5,00 + 1kg de alimentos, a mensalidade de RS 10,00. Associados e dependentes têm 25% e 15%, respectivamente, de desconto na mensalidade. Inscreva-se na Av. Viana Bandeira, 110.
Ao longo deste período o SINDISER já promoveu a qualificação e inclusão digital de mais de três mil pessoas residentes na sede, principalmente dos bairros mais carentes, e dos distritos.

O SINDISER SIMBOLIZA UMA LUTA  CONSTANTE EM PROL DA MELHORIA DE VIDA DO FUNCIONALISMO MUNICIPAL E A LUTA NÃO VAI PARAR, POIS DEUS ESTÁ NO CONTROLE

O Trombone

Tem gente amarelando?

O ingresso do prefeito Ricardo nas hostes do PT, começa a movimentar o meio político de Santo Amaro. Está valendo tu-do para cooptar vereadores para afastar a possibilidade da rejeição, também, pela Câmara, das Contas de 2009, o que tornará o prefeito inelegível por 8 anos.
O Deputado Rosemberg Pinto, que ainda não deu o ar da sua graça, decorridos 6 meses da nova administração, tenta atrair o Vereador Saborosa, do PV, com a oferta (o balcão de negócios já está em atividade) da Secretária Municipal de Educação, em troca do seu apoio ao Prefeito? O encontro se deu no gabinete do Deputado, e foi filmado pela TV Bahia, onde o vereador aparece ao lado de Chico Porto, portanto, gravado para a história. 
Por outro lado, os ex-petistas de carteirinha, começam a rasgar elogios ao prefeito, (até o mês pas-sado indesejável, insano, corrupto) e estão ávidos por cargos e posições de destaque. No comentário boca-a-boca, a grande novidade é a especulação da ida do Presidente do PT, João Militão, para a Secre-taria de Saude. Antonio Reinaldo, militante de projeção do PT, disse não acreditar nessa possiblidade, observem, não desmentiu. JM, foi procurado e não encontrado para confirmar ou não a sua adesão.

SINDICELPA

Que o 14 de junho seja de todos nós, e para nós um exemplo marcante dos nossos antepassados que lutaram com suas ideias para o fortalecimento político da nossa nação, não medindo esforços para que fossem conquistadas as liberdades e a independência do povo brasileiro. Santo Amaro dignificou a Bahia e ajudou na construção política da nossa gente. 
O SINDICELPA, como legítimo representante dos trabalhadores no ramo do papel, se associa à classe politica de Santo Amaro e ao povo em geral por essa importante data. Que tenhamos em mente a necessidade de cada um de nós lutar por um ideal, pois, somente assim construiremos um futuro e os nossos filhos de orgulhem do nosso presente, como estamos fazendo agora em relação à quem no passado fez a sua parte e nos deixou um grande legado. 
É feliz um povo que tem o que contar e deixar registrado para a posteridade uma grande luta com uma grande vitória.
Parabéns à Câmara Municipal de Vereadores de Santo Amaro, por ter sido em 1822, a voz de Brasil. 
Que possamos estar juntos em outros 14 de junho, para comemorarmos essa grande data, para a Bahia e  o Brasil.

Câmara de Vereadores

Clique na imagem para ampliá-la

Vereador Eduardo Freitas
Moção
A Colenda Câmara de \/ereadores de Santo Amara, lídima representante do seu povo faz constar na Ata dos Trabalhos da presente Sessão ordinária, VOTOS DE PESAR peio falecimento  do Sr. Djalma Dias Santana, ocorrido no dia 29/04 dc ano em curso, na Capital Baiana.
Santoamarense nato, Djalma Dias sempre foi um homem alegre, companheiro, um exemplo de cidadão, homem de boa conduta e bom caráter, deixa com seu falecimento, um imenso sentimento de tristeza e saudade no seio de sua família e amigos mais íntimos.
Dê-se ciência da presente Moção a família enlutada
............................................................


Vereador Raimundo Jorge (Saborosa)

O Vereador que este subscreve, vem REQUERER da Egrégia Mesa Diretora desta Casa Legislativa, após ouvir o Sábio Plenário, na forma que indica o nosso Regimento Interno, Regime De Urgência Especial, para apreciação do Projeto de Lei n9. 134/2011, de autoria do Vereador Raimundo Jorge Pereira de Matos.

A Câmara MunicpaI de Santo Amaro APROVA
Art. 12 - Fica declarada de Utilidade Pública Municipal a Associação Grupo Gay De Santo Amaro - AGGSA, situada na Rua General Argolo, n 48 Sacramento, Santo Amaro (BA) e dá outras providências
Art. 22 - Esta Lei entrará em vigor na data de sua publicaçãoo revogadas as disposições em contrário.

Enviar a essa Casa o valor pago pela Secretaria de Educação a empresa SERV BAHIA, referente aos carros que prestam serviços a referida Secretaria bem como a relação dos automóveis com as respectivas placas e motoristas.

SOLICITAÇÃO
Justificar a falta de pagamentos aos funcionários contratados, pois os mesmos encontram-se sem receber as suas remunerações, fato que não se justifica haja vista a regularidade no repasse dos recursos

SOLICITAÇÃO
Estabelecer uma Tabela De Pagamento Para O Servidor Público Municipal Da Educação, pois as transferências do FUNDEB ocorrem de forma pontual
............................................................

Vereador Luciano Caldas
Moção
A Colenda Câmara de Vereadores de Santo Amaro, lídima representante da vontade soberana do seu Povo, faz constar na Ata dos trabalhos da presente Sessão Ordinária, Votos De Parabéns À Polícia Civil de Santo Amaro, na pessoa do Delegado e Coordenador da 3ª  CORPIN, Sr. WILIAN ACHAN, pelos valorosos serviços que vem prestando nas Escolas Municipais e Estaduais da nossa cidade.
Diante dos fatos ocorridos recente-mente nas escolas em nosso país, principalmente as escolas públicas, é de suma importância à atuação da Polícia Civil as unidades escolares do Município, realizando o despertar dos alunos, pais e professores sobre as diversas situações que fazem parte do cotidiano urbano.
Da presente MOÇÃO, dê-se ciência ao homenageado, ao Prefeito Municipal e ao Jornal O Trombone.

Vereador Valmir Figueredo

A Câmara de Vereadores de Santo Arnaro, Lídrma representante e fiel intérprete dos anseios do seu Povo, faz constar na Ata dos trabalhos da presente Sessão Ordinária, CONGRATULA-SE com os Dirigentes da Frente Popular que no dia 1 de Maio realizou urna festividade em homenagem ao Dia 1º de Maio, Dia do Trabalhador.
A Frente Popular vem prestando no populoso bairro do Sacramento, relevantes serviços aos moradores daquela localidade; vem acima de tudo se empenhando nos  problemas relacionados a todo o bairro do Sacramento sem nenhuma distinção e a Câmara de Vereadores não podeoa deixar de prestar Justa Homenagem não só à Frente Popular, como também a todos os trabalhadores, que foram embrados e homenageados.
Dê-se ciência da presente MOCÃO, ao Presidente do Movimento Frente Popular, Sr. Marivaido Passos dos Santos e à Tesoureira, Sra. Cremilda Borges.

Mõção
A Câmara ae Vereadores da Leal e Benemérita Cidade de Santo Amaro da Purificação, Lídima representante e fiel intérprete dos anseios do seu Povo, faz constar na Ata dos trabalhos da presente Sessão Ordinária, Votos De Repúdio, Estarrecimento, Indignacão E Perplexidade, pela atitude grotesca e desrespeitosa, que foi dada ao Ex-Vereador e Advogado de relevantes serviços prestados à nossa sociedade, Itagildo Flamarion Nery De Mesquita, que foi hostilizado e ameaçado com tentativa de agressão física protagonizada por um rebanho de forasteiros que se denominam assessores incompetentes, despreparados e desequilibrados da Secretaria de Cultura, pasta essa, sob a responsabilidade do Sr. Rodrigo Veloso, que no dia 13 de maio, nos FESTEJOS DO BEMBÉ, na exibição da Banda Dissidência, sem a presença ostensiva da Polícia Militar, para manter a ordem, ocasionou um crime brutal, levando a óbito o jovem RAFAEL DOS SANTOS SILVA, residente na entrada da Rua do Pilar.
A baderna, o vandalismo foi genera-lizado no Largo do Mercado, onde não foi tomada nenhuma atitude por parte dos organizadores, sendo preciso a manifestação do Ex-Vereador Itagildo Mesquita, que ao expressar as seguintes palavras: “É bom vocês terminarem com essa festa, para não transformarem esta Praça, numa Praça de Guerra.” Dito isto, minutos depois o jovem RAFAEL DOS SANTOS SILVA foi agredido e perfurado até a morte e dado essa ta-manha agressividade e irresponsabi-lidade dos organizadores, esse infortúnio, esse cataclisma transfor-mou-se em desgraça.
Aqui registro nos Anais dessa Egrégia Casa Legislativa, a minha revolta, o meu pesar à família enlutada que perdeu seu ente querido brutalmente de maneira fútil e inexplicável.
Dê-se ciência da presente MOÇÃO, à Família Enlutada, ao Sr. Itagildo Flamarion Nery de Mesquita, cidadão de respeito dotado da mais alta credibilidade no seio da Leal e Benemérita Cidade de Santo Amaro da Purificação.

Tendo em vista que, o abandono, o desprezo, o descaso da gestão Ricardo Machado com relação à Quadra De Esportes Localizada No Bairro Derba.
Tendo em vista, que a administração passada do Sr. João Melo agraciou os jovens e adolescentes, do citado bairro com uma quadra para incentivar o esporte e o lazer.
O Vereador que este subscreve, na forma regimental, REQUER com aprovação da unanimidade dos Edis, que seja solicitado do Prefeito Municipal que se digne de tomar as imediatas providências com relação à citada quadra de esportes que está com a estrutura completamente abalada, colocando em risco a vida de todos os que ali frequentam.
É bom salientar, que é muito bom prevenir do que remediar; se houver um desabamento muitos jovens serão soterrados se houver o desabamento da arquibancada.

Tendo em vista que, o Excelentíssimo Senhor Deputado Rosemberg Plnto é o autêntico e legítimo representante do Recôncavo na Assembleia Legislativa do Estado.
Tendo em vista, a necessidade da implantação urgente urgentíssima de uma Delegacia Específica Em Antendimento À Mulher.
O Vereador que este subscreve, na forma regimental, REQUER com aprovação da unanimidade dos Edis dessa Egrégia Casa Legislativa, que seja solicitado do líder Rosemberg Pinto, A Implantação De Uma Delegacia Circunscricional Em Nosso Município, Para Atender As Mulheres Vítimas De Agressões E Abusos Por Parte De Indivíduos Inescrupulosos.

REQUERiMENTO 
Tendo em vista que, o Excelentíssimo Senhor Deputado Estadual Rosem-berg Pinto é presidente da Comissão de Defesa do Consumidor.
Tendo em vista que, o Excelentíssimo Senhor Deputado é o representante do Recôncavo na Assembléia Legislativa do Estado.
O Vereador que este subscreve, na forma regimental, REQUER com apro-
vação da unanimidade dos Edis, que seja solicitado da citada e eficiente liderança, que vem se qualificando como representante legal da Leal e Benemérita Cidade de Santo Amaro da Purificação, a Implantação De Uma Delegacia Regional Do Procon - Recôncavo, com sede em nosso Município, para proporcionar a DEFENSORIA DO CONSUMIDOR.
Esta Casa Legislativa aguarda com tamanha ansiedade, uma resposta afirmativa a essa proposição, de suma importância para todos os consumidores não só da nossa cidade, mas, de todo Recôncavo Baiano.

Tendo em vista as dificuldades, a burocracia e o longo espaço de tempo para o cidadão obter os documentos necessários para a sua identificação.
Tendo em vista, obrigatoriedade do cidadão a se deslocar para a capital, a fim de ser documentado.
O Vereador que este subscreve na forma regimental, REQUER com aprovação da unanimidade do Plenario, que seja solicitado do Excelentíssimo Senhor Deputado Rosemberg Pinto, autêntico e legitimo representante co Recôncavo Baiano, que se digne de Solicitar A Implantação Do Sac - Serviço De Atendimento Ao Cidadão
nessa Leal e Benemérita Cidade de Santo Amaro da Purificação.
Tenha certeza ilustre Deputado, que a implantação do SAC em nosso Município. será de suma importância para todos os munícipes que necessitam dos relevantes serviços atendimento do Cidadão.
Nós Vereadores m nome da Cornunidade, esperamos ser agra-ciados com mais uma iniciativa de Vossa Excelência que tem os olhos voltados para os problemas que mais afligem o nosso Municipio.

Material fornecido pelo radialista

Antônio Carlos Soares de Lima

D.R.T. nº 4.755


Clique na imagem para ampliá-la




ACADEMIA DE LETRAS DE SANTO AMARO - ALSA

Art.1 - A ACADEMIA DE LETRAS DE SANTO AMARO - ALSA - como parte das atividades comemorativas dos seus quinze anos de existência promove este concurso ilterário objetivando:
1.- Criar hábitos de leitura;
2.- Estimular a criação;
3.- Revelar novos valores literários;
4.- Valorizar a expressão literária;
5.- Promover maior integração da Alsa com a comunidade;
Art.2 - O Gênero Líterário elegível para os efeitos deste concurso é a POESIA em LÍNGUA PORTUGUESA.
DA PARTICIPAÇÃO
Os participantes concorrerão aos seguintes prêmios:
PRÊMIO ASSIS VALENTE - Estabelecimentos das Redes pública e privada de ENSINO FUNDAMENTAL.
PRÊMIO AMÉLIA RODRIGUES - Estabelecimentos das redes publica e privada de ENSINO MÉDiO
PRÊMIO NESTOR OLIVEIRA  -  Poetas santo-amarenses com trabalhos inéditos.
A escola participante poderá inscrever até três trabalhos, a partir da indicação dos Coordenadores ou  Articuladores de Área, artinentes ao tema ou seleção interna.
Art.3 - O tema dos trabalhos apresentados ao concurso é livre.
Art.4 - 1. Cada concorrente poderá apresentar três trabalhos.
2. - Os concorrentes deverão entregar:
2.1. - Sete (07) exemplares do trabalho, escritos em computador.
2.2.- Uma (01) fotocápia da Carteira de Identidade;
2.3. - Indicação de domicílio e n°. de telefone residencial, comercial ou telefone móvel
Art.5 - 1. O trabalho e a documentação de identificação devem ser entregues em Envelope fechado e devidamente identificado com nome e endereço completos até o dia1 5 de julho de 2011 na sede da academia após contato pelo telefone de número:(75) 8220 -0405, das 15’00hrs até às 17:00 hrs.
Art.6 - 1. — O Prêmio será atribuido por um júri constituído por membros da ALSA, professores diretamente envolvidos com a Educação e Cultura de Santo Amaro e convidados especiais para melhor servir o propósito do concurso.
Art. 7. - 1. — As decisões do Júri serão divulgadas na XIV FElRA de LITERATURA DO CETS - Setembro de 2011.
2. - As decisões do Júri serão afixadas nas vitrinas do haIl de entrada das Escolas envolvidas
3.-  Afixadas em Local de destaque na Sede da Academia de Letras de Santo Arnaro.
4.-  Divulgadas no Jornal O TROMBONE  e FEIRA NEGÓCIOS
5- As decisões do Júri serão divulgadas, também, no BIog do Clube do Poeta Sul da Bahia.
(http://cIubedopoetadeitabuna.bIogspot.com/)
Art. 8 - 1. — Ao autor do melhor trabaiho, dentro de cada bloco de participação, serão atribuídos os seguintes prêmios:
1.1.- Um diploma especifico ao prêmio 
1.2. - Um livro de autor santoamarense 
1.3.- Os finalistas receberão diplomas de participação
2. - Sempre que o entender, o júri podetá atribuir menções honrosas.
3. - O júri poderá deixar de atribuir os prêmios, desde que entenda que os trabalhos inscritos não revelem qua-lidade suficiente para serem distinguidos.
Art. 9 - 1. À ALSA  reserva-se o direito de fazer publicar os trabalhos concorrentes.
2. - Os exemplares dos trabalhos apresentados não serão devolvidos aos concorrentes, estando reservados todos os direitos de autor à ALSA.
Art. 10 - 1. O prêmio. urna vez atribuído, será entregue ao premiado distinguido ou à pessoa que o represente, em data que será oportunamente divulgada e comunicada aos interessados.
2. Na impossibilidade do cumprimento dos pontos anteriores, os premiados e os demais concorrentes que receberam menção honrosa poderão levantar os Prêmios e os diplomas até o final do ano corrente na sede da ALSA - Praça da Purificação n°. 34.
Art. 11 - 1. - Os casos omissos e as dúvidas de interpretação deste regulamento serão resolvidos pelo Júri.
2. Os membros da Alsa ficam impedidos de concorrer.
2. - Das decisões do Júri não haverá apelação.

José Caetano S. Valladares.

Amália Patrícia - É proibido pisar nas Flores

“O não poder das mulheres”

Quando comecei os Estudos de Gênero, deparei-me com um artigo da profª Ana Alice que l era encabeçado por uma frase do livro de Marcela Lagarde: Cautiveiros de las mujeres, monjas, putas, presas y loucas. A frase escolhida pela minha professora dizia: “O poder é a essência do cativeiro da mulher e dos ca-tiveiros das mulheres” (1993:153).
Nunca vi o poder como uma coisa ruim que degrada as pessoas, mesmo sem ter lido uma frase se quer do filosofo do poder, o meu lindo Foucault, já sentia certa simpatia pelo poder, mas porque nós mulheres entregamos nosso poder nas mãos dos homens? Não é nenhuma novidade que o feminismo no Brasil surge nas Universidades, entre intelectuais brancas e burguesas, esse florescer não questiona o domínio das mulheres no âmbito domestico, indaga a exploração destas pelo mercado de trabalho, a mulher tinha saído de casa e adentrado nas indústrias têxteis nos finais da década de 70. Então essa inclusão  e a saída da esfera domestica nos confere poder? Não, isso nos sobrecarregou, surge nas nossas vidas a dupla jornada de trabalho, trabalhar fora e depois cuidar da casa, costumo até dizer que temos uma tripla jornada de trabalho, temos que deitar com nossos parceiros e ter uma performance impecável tipo a atriz “sibilante e insinuante” da novela das 21h.Entretanto com essa anomalia que algumas de nós ostenta como se fosse a coisa mais maravilhosa do mundo: trabalhar, ser casada, ter filhos e ir ficar magra, não permitiu que debatêssemos sobre a nossa autonomia de fato e de direito, esquecemos de tomar o espaço publico na trajetória política brasileira.Vejamos como ainda podemos encontrar mulheres que estudaram muito, ascenderam profissionalmente, casaram e deixaram toda representação da sua vida publica nas mãos de um marido,as que não casaram ou separadas são representadas pelo papai, irmão,tio, amigo gay, mas sempre a figura masculina à frente representando publicamente. O espaço publico é hegemonicamente gendrado¹ pelo masculino. As mulheres estão excluídas da política representativa, posso contar nos dedos de uma mão quais foram as vereadoras da minha cidade, isto sem mencionar a assembleia legislativa, entre outros espaços onde transitam o poder político. Meus cabelos arrepiam de horror quando ouço a frase :”não sou política”.Aff que preguiça de gente que fala isso, como se o fazer política fosse algo que pode ser negado numa sociedade altamente dependente de serviços e servidores. Pois bem, por mais que a gente estude, ganhe muito dinheiro, fique “gata da academia” e domine todos os segredos do sexo tântrico, o poder não vai estar conosco, enquanto não entendermos e sejamos educadas para participar onde ele penetra. Esse é um caminho longo, mais como tudo que é social é uma invenção, que tal a gente reinventar, desconstruir e sairmos dos cativeiros do patriarcado conservador dos sexistas que usam do fundamentalismo religioso que nos coloca como serpentes do pecado, e do senso comum de que nós mulheres somos as 
piores inimigas uma das outras? Vamos começar a fazer valer na nossa cidade o cumprimento da Lei Maria da Penha, aqui ainda se retira queixa de marido, irmão, ou seja, o machinho misógino que possa ser enquadrado por esta, porque a cultura infelizmente se sobrepõe de forma leviana à soberania da lei. Mas nem tudo no nosso mundo do não poder é tão ruim, a coisa tá mudando sim, quando vemos nos noticiários que o homem mais poderoso do mundo (não é Obama é o safado do Dominique Strauss-Kahn diretor-gerente do FMI)foi derrubado por uma imigrante da Guiné, a camareira  o acusou de agressão sexual, este é um marco para o feminismo negro, algo muito bom está surgindo, mesmo que seja em Nova York. Vamos abrir os grilhões invisíveis que nos limitam a uma relação de conjugalidade baseada na propriedade privada, vamos nos libertar, vamos libertar os homens também, vamos compartilhar os poderes, porque isso é bom, justo e digno.

¹gendrar significa limitar algo a um gênero, ex: homens são agressivos,ou mulheres não sabem dirigir

Em Foco Nossa Cultura - Ninho Nascimento





Me fale da sua relação com a música:
Fui pandeirista de um pequeno grupo daqui que fazia o serviço de auto falante do presídio Rosendo Leite, em 1956. Depois disso, ouvindo a orquestra Tabajara, na praça da Purificação, neste mesmo ano de 56, tomei amor à música e comecei a estudar na Filarmônica Lira dos Artistas. Em 57 quando meu pai faleceu e eu parei de estudar, mas logo voltei e comecei na filarmônica tocando soprando, instrumento reto e quando não tinha bombista, eu quebrava o galho tocando bumbo. Certo dia eu pedi ao professor Vilela na época para me dar um saxofone, pois eu queria experimentar o instrumento. A princípio ele me negou, mas como eu insisti e disse que não tocaria mais o bumbo, ele resolveu me dar um saxofone sem a buquilha. Comprei uma buquilha, coloquei e quando percebi que aquele era o instrumento que realmente queria tocar, “minha velha” me ajudou a comprar um e fiquei tocando durante 30 anos na Lira e por fora, exercendo a minha profissão de pedreiro e tomando conta da família, pois meu pai já havia morrido e eu fiquei incumbido disso. Mais adiante, fui convidado para tocar na orquestra Os Tapajós, apelidada de Antônio César e seus cabras da pestes. Toquei muitos anos com esse grupo e daí pra cá venho me mantendo na música como posso. Sempre trabalhando de pedreiro que é a minha profissão e fazendo apresentações na medida do possível. Não sou nenhum expert em música, não estudei para fazer carreira em música, até porque tive que criar meus filhos, mas entendo um pouco, leio algumas partituras, tenho um curso de mestre de bandas que fiz em Cachoeira com os maestros Josmar Assis e Chachá.
O sax é de fato um instrumento musical para poucos ou qualquer pessoa pode tocar?
Acho que além de conhecer o básico de música, a pessoa precisa ter dom para tocar saxofone. Dos instrumentos de sopro que conheço, acho o mais difícil porque a natureza dele é MI-BE-MOL e isso dificulta para algumas pessoas que tocam esse tipo de instrumento. Derico, de Jô Soares, por exemplo, nunca vi ele tocando o sax alto porque é mais difícil do que os outros instrumentos, mas eu me adaptei ao sax e gosto de tocá-lo. Deus me deu esse dom e enquanto puder, vou levando...

Além de Santo Amaro, você faz bastantes apresentações em outras cidades da região, me fale um pouco de suas andanças:
Em Salvador eu toco bastante, já toquei muitas vezes no Baby Bife, no Barbacoa, em festas no Hotel Oton, Clube Espanhol, em todas as praças do Pelourinho: Pedro Arcanjo, Quincas Berro D´Àgua, etc, em várias sedes do SESI, trabalhei seis anos com a banda Made in Bahia, com Osvaldo Fael, com a saudosa Mirian Tereza e assim vou levando, hoje, após o falecimento de  Mirian, faço instrumental por aí com o seu  experiente tecladista.

Como está sua agenda, hoje. Continua recebendo muitos convites para tocar fora da cidade?
Graças a Deus, muitos convites. Ainda este mês, no dia 11, irei a Salvador tocar no aniversário de uma senhora de 84 anos. Também viajo para Aracaju e outras cidades próximas, fora do estado, sempre que pinta convite eu estou lá, seja onde for.

Qual o tipo de festa em que você é mais convidado para tocar?
Sem dúvidas em festas de pessoas mais maduras, que tem gosto musical definido e apurado. Toco muito também para pessoas idosas. Toco diversos estilos, um pouco de tudo, inclusive Chiclete com Banana, mas meu público maior está concentrado na faixa etária acima dos 50 anos.

Seu repertório deve ser bastante amplo, mas tem uma música em especial que você adora tocar?
Olha, o desembargador Cintra, já me fez essa pergunta duas vezes. Gosto muito de tocar clássicos da música brasileira, entre esses, músicas de Tom Jobim como Eu sei que vou te amar e Lígia, tem também alguns clássicos de Vinícius de Moraes, Chico Buarque, Caetano Veloso, adoro tocar Se eu quiser falar com Deus, de Gilberto Gil, tem muitas músicas que adoro cantar.

Quantos anos de sax, Paizinho?
Subindo e descendo, 54 anos de música. Em 58 eu fiz a minha primeira tocada como profissional, num carnaval, tocando no bloco do nosso inesquecível Edilson Jota do Nascimento, aqui em Santo Amaro, mas antes disso, toquei por ai com a filarmônica Lira dos Artistas em diversas cidades da região.
No dia 27 de maio você completou 72 anos de vida. Você Já tocou em festa de aniversário de muita gente. 

E em aniversário seu, já tocou também?
Já sim. Tenho um amigo em Lustosa que toca violão. Eu faço aniversário no dia 27 e ele no dia 28. Ele festejou meus 70 anos, mas quem tocou fui eu, lá em Lustosa. Ele tocou violão e eu fiz o sax, numa festa bem animada...

Quero saber qual a festa fora de Santo Amaro que que você tocou e mais lhe marcou como saxofonista?
Toquei em Salvador no Spaguete Lilás, na Barra, com o baixista de Raul Seixas nas Bodas de Ouro da irmã dele. Essa foi uma das grandes festas que fiz e que não esqueço. Uma outra,  em Salvador foi o aniversário de Flora Paranhos, em Amaralina, no quartel do exército, foi um espetáculo...!

E aqui em Santo Amaro, fale-me de uma festa que lhe marcou muito?
Aqui em Santo Amaro tem algumas bem marcantes para mim, entre elas, os 90 anos de Dona Edith do Prato, que toquei com Mirian Tereza, as Bodas de Ouro de Raimundo Isidoro, que mora no Beco do Caquende, um querido amigo, toquei em várias festas para o cientista José Silveira e todas para mim foram marcantes, toquei também no NICSA, no aniversário de Emanuel Araújo, enfim, aqui em Santo Amaro participei de muitas festas marcantes...

Como músico instrumentista você percebe interesse da juventude em aprender música?
Infelizmente os músicos instrumentistas da cidade tem que sair da cidade por falta de oportunidade para tocar aqui e isso termina tirando o incentivo da meninada. Tenho dois filhos tocando em Salvador, um nos Bambas e o outro no Pagodart, tenho um sobrinho tocando no É o Tchan! E assim como eles tem muitos outros meninos que tiveram que sair para buscar oportunidade, como Júnior Figueiredo, Juvenal, Jonivon e outros. É muito difícil despertar o interesse da juventude para alguma coisa se o governo não faz a sua parte.

Você se arrepende de não ter saído também?
No meu caso, sinceramente não. Como diz Aloísio Ventura, alguém tem que ficar para as outras pessoas saberem que aqui tem música. Se sair todo mundo a cidade fica “descoberta”.